Luís M. Sobral

Luís M. Sobral

O Consultor e Formador Luis Manuel Sobral tem como factor diferenciador e respectivo agente de sucesso a sua metodologia extremamente prática, sempre na óptica do Saber Fazer, com provas dadas no mercado nacional e internacional

Ainda somos empreendedores? PARTE 1

Somos, definitivamente, um povo Empreendedor.

A Crise e a dificuldade, desde tempos imemoriais, tem dado uma mão madrasta no aguçar do engenho de uma população habituada ao seu fado.

Mas o fado está a mudar.

Os tempos são outros e as necessidades são diferentes.

As dificuldades laborais dos mais jovens, bem como dos maiores de 35, libertou um monstro criativo e sedento de vingança que se escondia na mordomia e na vida capitalista a que nos habituaram as instituições mundiais e o apelo ao Consumo.

Esse animal de hábitos, com a falta de emprego fácil e o baixar dos salários médios, cresceu e fez-se notar, obrigado que estava a tomar decisões e a colocar comida na mesa.

Duas notórias consequências adviriam desta nova e inusitada sombra.

Uma delas foi a Emigração de Luxo, com a fuga dos nossos cérebros para outras paragens, devido a outros valores que se levantaram.

A porta número dois, para os que simplesmente acharam que não era hora de baixar os braços e partir, era fácil de abrir.

Dava acesso a um «brave new world» chamado de Empreendedorismo.

Nada é agora, como antes.

Empreender era pouco apelativo, difícil de alcançar e nem sempre lucrativo.

Em suma, um grande risco.

E como todo Empreendedor sabe, o pior inimigo de um projeto é o medo de falhar, não o Insucesso em si.

E hoje começar do zero não é uma nulidade nem um ponto em branco.

Vemos todos os dias micro negócios nascerem por geração espontânea.

As redes sociais em geral e o Facebook em particular, deram o mote para que inúmeras famílias de Empreendedores criassem negócios de ocasião e rendimentos extra- curriculares.

Mas nem tudo é diferente.

Existem algumas fases de desenvolvimento de uma Startup que não alteraram o seu «modus operandi» ao longo dos anos.

O Estudo de Mercado é essencial. Por muito grande que seja a paixão e a emoção pelo nosso negócio, temos que deixar o lado racional falar até que a voz lhe doa.

A viabilidade do projeto e a segmentação do nosso target são objetivos claros.

O Planeamento Estratégico é o coração da menina dos nossos olhos. É com ele que vamos edificar o Plano de Negócios, o Plano de Marketing e respetivos custos inerentes a toda a operação.

A Captação de Financiamento contará, sempre, com o nosso próprio Capital. Para além da criatividade e da visão, temos que arriscar com as nossas poupanças para que terceiros acreditem igualmente no nosso empenho presente e futuro.

O Arranque do Negócio é o clímax, o momento mais esperado de toda esta lista de pontos a seguir.

É dado o tiro de partida e temos que correr para a meta proposta e ganhar.

A Expansão é o segundo momento de realização, de glória, de obra feita.

Sabemos que estamos a fazer algo certo e queremos replicar, expandir o negócio.

Mas existem desafios nesta estrada de asfalto. Ontem, tal como hoje, alguns dos desafios ao Empreendedorismo não criaram bolor nem ganharam rugas de expressão.

Partilhe

Explorar mais

Ainda somos empreendedores? PARTE 2

Manter Continuamente o Empenho é um dos maiores desafios do Novo Empreendedor. É fácil desanimar à primeira contrariedade e ao primeiro suspiro de problema no nosso pescoço.

Partilhe