Teresa Teles

Teresa Teles

A Coach Teresa Teles assumiu a missão de construir equipas motivadas e comprometidas, que por sua vez trarão à empresa maior rentabilidade, produtividade e maior envolvimento com o cliente. Como? Transformando colaboradores desmotivados e descomprometidos em líderes alinhados com a empresa. Lembre-se do que disse Henry Ford: “Juntar-se é um começo, permanecer juntos é um processo e trabalhar juntos é um sucesso”

“Não sejas a cauda de um touro, sê a cabeça de uma galinha” (provérbio japonês)

O que é para vocês o ímpeto empreendedor? Como é que ele se manifesta? Quais são as motivações que levam uma pessoa a deixar a estabilidade de um emprego com responsabilidades limitadas à função, com um ordenado estável e com o apoio de uma estrutura constituída, para se lançar (muitas vezes sozinho) direito a um sonho?

Hoje ouvi este provérbio: “Não sejas a cauda de um touro, sê a cabeça de uma galinha”. Este provérbio ressoou dentro de mim como uma ideia iluminada, uma luzinha que se acende e explica porque é que nunca fui capaz de ficar quieta num canto.

Este provérbio explica numa simples frase, porque é que independentemente dos resultados e dos reconhecimentos que tenho tido, independentemente da forma como me ligo a colegas que estimo, em empresas que partilham dos meus ideais e valores não fico quieta. Explica porque já desenvolvi 6 empresas, 5 criadas de raiz por mim (1 de família), e me mantenho em 3.

A maior luz que me veio desta frase foi perceber o quanto eu gosto trabalhar com pessoas que preferem ser “cabeças de galinha” a “caudas de touros”. Pessoas que arriscam tudo e começam pequenos. Pessoas que até podem mudar para touros, mas se isso acontecer eles já serão a cabeça. Se não acontecer, ao menos eles serão a cabeça. Pessoas que não têm medo de correr, de andar, de saltar, e que não deixam de arriscar apenas pelo tamanho do desafio ou pelo tamanho da sua estrutura. Se puder escolher, prefiro sempre a capacidade de adaptação e é isto que faço por provocar nos meus coachees. Normalmente, pessoas com estruturas pequenas (entre 1 a 50 colaboradores) mas altamente funcionais, ágeis e com uma equipa energética e orientada para resultados. Eu prefiro ser a cabeça da galinha. E tu? Cabeça de galinha ou cauda de touro? O que fazes para isso?

Partilhe

Explorar mais

RELAÇÕES PANDÉMICAS

Em casa… as mesmas paredes 24 horas sob 24 horas, sem grandes oportunidades de argumentar saídas de uma vivência já há muito difícil…

Partilhe