Teresa Teles

Teresa Teles

A Coach Teresa Teles assumiu a missão de construir equipas motivadas e comprometidas, que por sua vez trarão à empresa maior rentabilidade, produtividade e maior envolvimento com o cliente. Como? Transformando colaboradores desmotivados e descomprometidos em líderes alinhados com a empresa. Lembre-se do que disse Henry Ford: “Juntar-se é um começo, permanecer juntos é um processo e trabalhar juntos é um sucesso”

O mês dos sonhos

Eis que estamos em Dezembro, o mês dos sonhos.

No mês de Dezembro grande parte das empresas fatura mais do que em qualquer outro mês do ano. Isto acontece porque enquanto consumidores celebramos as relações, assim como celebramos o ano que foi e preparamos o ano que vem. As mesas são abundantes, as famílias reúnem-se e as crianças vibram com a magia de natal…

Mas o ano 2020 não foi um ano normal. Não está a ser. Tão cedo não voltará a ser como era. Este ano está a ser diferente. Atípico.

É o segundo fim de semana prolongado que ficamos presos em casa, numa luta diária com seres invisíveis, que de um momento para o outro podem levar alguém que amamos. Isto provoca todo o tipo de reações em nós enquanto pessoas e, enquanto empresários, não podia deixar de se refletir nas empresas. As preocupações são normais.

  • E se um dos meus funcionários apanha covid?
  • E se não há vendas suficientes?
  • E se o dinheiro não chega?
  • E se tenho de despedir os “meus” funcionários?
  • E se tenho de fechar as portas?
  • E se …
  • E se …

Os medos são muitos e por esta altura grande parte de vocês já tiveram tempo para os processar, o que não significa que tenham deixado de existir. Apenas que já tiveram de tomar uma posição, independentemente de qual foi.

Mas tu não podes ficar como estavas porque os tempos são diferentes. Quem já não ouviu “enquanto uns choram, outros vendem lenços”?

Temos empresas que este ano tiveram o melhor ano da sua vida. Temos empresas que já despediram grande parte dos seus funcionários por não terem como mantê-los…

Esta dualidade deve-se à forma como cada qual encarou e reagiu esta mudança drástica das suas vidas.

Agora o mais importante: Tu que estás a ler isto, como é que reagiste a esta mudança?

Ontem estávamos a falar sobre este tema e de facto esta pandemia gerou muitas oportunidades, mas foi devastador para alguns sectores. Em todo o caso, houve sempre três escolhas:

  1. manter o negócio apostando no digital;
  2. manter o negócio tal como estava, reforçando produtos e serviços que se adequam à actualidade;
  3. Reinventar o negócio todo, muitas vezes implicando não apenas mudar o modelo, como a área de atuação.

Qualquer que tenha sido a tua escolha, para sobreviver, para prosperar, houve três pontos chave que não pudeste descurar:

  • refazer o plano
  • rever a comunicação
  • trabalhar a distribuição

E isto traz-nos ao dia de hoje.

Passaram 9 meses desde o primeiro confinamento e não se vê grande perspectiva de mudança em relação aos novos hábitos de consumo. Significa isto, que para as empresas que ainda não reagiram, mesmo com um fundo para imprevistos e alguma provisão de tesouraria (dinheiro disponível no banco), o dinheiro começa a escassear e é preciso dar a volta!

Então vamos olhar para algumas das oportunidades que surgiram:

  • Diminuição da resistência à mudança – Um mundo que tendia para o digital, tornou-se digital por força das circunstâncias, forçando muitos resistentes a sair da sua zona de conforto sob o risco de fechar portas e abrindo todo um potencial sem fronteiras;
  • Mundo digital – Todas as actividades relacionada com o online dispararam – custos de estrutura com lojas físicas e com pessoal de atendimento tendem a desaparecer ou reduzir substancialmente;  
  • Novos projectos – Projectos que estavam na gaveta agora podem ser revistos, ajustados e colocados no mercado criando novas linhas de produção, serviço e/ou distribuição.
  • Oportunidades de negócio –Trabalhadores por conta de outros, que sonhavam com um negócio próprio viram nesta mudança a oportunidade de realizarem sonhos e investem hoje para colher amanhã.

Isto demonstra uma mudança de mentalidade e prova que a vontade e o espírito de adaptação do ser humano não têm limites. Hoje, como há um ano, as oportunidades são infinitas para quem é capaz de sonhar. Oportunidades diferentes. A ponderar, mas novas oportunidades!

Estamos em dezembro, o mês dos sonhos. E tu? O que vais fazer pelos teus sonhos?

Partilhe

Explorar mais

DEFINE O TEU OBJECTIVO: “Onde vais estar daqui a um ano?”

Já pensaste na evolução do teu negócio ao longo do tempo? O que é que já fizeste? Estás exactamente onde pensavas estar quando deste início a esta caminhada? E se não estás, o que é que achas que podia ter sido diferente?
Muitas pessoas têm sonhos e consideram ter objectivos.

Partilhe

O trabalho do “patrão”

Longe vão os tempos em que o trabalho do “patrão” era definir caminho e mandar fazer. Não significava que os empregados gostassem

Partilhe